Translate

terça-feira, 29 de abril de 2014

Rick Warren Está Levando os Cristãos Evangélicos Para a Religião Global Ecumênica

O modelo "Igreja com Propósitos", de Rick Warren, está cumprindo a profecia bíblica, com sua liderança rumo à religião global que servirá ao Falso Profeta e ao Anticristo.
Apenas os Líderes das Igrejas Cristãs Podem Abrir as Portas para o Anticristo! Você conhece a profecia?
"Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição..." [2 Tessalonicenses 2:3].

O apóstolo Paulo está dizendo aqui que o Anticristo não pode aparecer antes que a Igreja Cristã caia na total apostasia. Sendo isso verdade, como é que todo um movimento cristão cai em erros doutrinários e em práticas antibíblicas?
A resposta é simples e óbvia: a liderança da igreja a desvia do caminho, levando seus seguidores direto para o inferno.
Portanto, a profecia de Paulo pode ser lida assim: "Ninguém de maneira alguma vos engane, porque não será assim sem que a liderança da igreja, pelo erro, abra as portas para o Anticristo."

Rick Warren está se esforçando para escancarar essa porta!

A direção religiosa no fim dos tempos é rumo à Religião Global, unindo todas as religiões do mundo; a Nova Era chama isso de Ecumenismo — a união de todas as religiões do mundo. Obviamente essa união significa que todas as religiões terão de contemporizar algumas de suas crenças, se quiserem se juntar com as outras. Essa fusão é feita concentrando-se nas crenças comuns dessas religiões e ignorando os pontos de discórdia.
Permanecer com a verdade, sem se importar com que os outros dizem, é o caminho bíblico. Contemporizar, em prol da união, a fim de "Reconstruir a Torre de Babel", é o caminho de Satanás.
Rick Warren está finalmente se revelando, mostrando sua verdadeira face, à medida que leva sua "Igreja com Propósitos" a uma posição de liderança na emergente Igreja Ecumênica Global! Na notícia seguinte, observe como Rick Warren está envolvendo o suporte do Movimento Ecumênico!

Resumo da Notícia: "Os Colegas de Rick Warren", The Reformed Pastor, 3-7 de agosto de 2008.
 "Neste sábado, a Igreja da Comunidade de Saddleback, a maior igreja dos EUA, do pastor Rick Warren, realizará um fórum com os dois candidatos à presidência. Barack Obama e John McCain não aparecerão juntos, mas responderão às perguntas separadamente, que serão feitas por Warren. Segundo o The New York Times, ele terá ajuda para formular essas perguntas."
"O evento do Sr. Warren terá como co-patrocinador o grupo religioso multidenominacional Faith in Public Life... Warren disse que ele formularia suas perguntas com auxílio de líderes muçulmanos, judeus e cristãos, que estão associados com o grupo."
Não se deixe enganar: o movimento de Rick Warren é uma união ecumênica de igrejas, como mostrado na notícia anterior, cooperando com negadores de Cristo no islamismo e no judaísmo, e junto com os liberais ecumênicos dentro das "igrejas cristãs"!
"Henry Brinton, pastor da Igreja Presbiteriana de Fairfax, no norte da Virginia, fez uma exposição um pouco diferente em uma coluna no jornal USA Today":
"Co-patrocionando esse evento está um grupo religioso multidenominacional chamado Faith in Public Life (Fé na Vida Pública), cujos líderes judeus, muçulmanos e cristãos ajudarão Warren a formular as perguntas aos candidatos."
Neste ponto, a revista Reformed Journal se concentra nesse nome obscuro Faith in Public Life. A definição dada a esse grupo, no próximo parágrafo, revelou ao pastor que essa organização era ecumênica, mas ele continuou chocado com o que sua pesquisa revelou. A pesquisa dele começou com a visão declarada do grupo:
"A Faith in Public Life almeja um país em que diversas vozes religiosas, lutando pela justiça e pelo bem comum, tenham um impacto constante nas políticas públicas; e que aqueles que usam a religião como meio de divisão e de exclusão não dominem o discurso ao público."
Uau! Sempre que vejo as palavras-chave "divisão" e "exclusão", sei que estou olhando para uma organização anticristã, estabelecida para unir os grupos cristãos apóstatas e não-cristãos e excluir aqueles que são fundamentalistas na fé cristã! Ou seja, esse grupo rejeita os princípios bíblicos e os grupos que estão firmados nesses princípios, ao mesmo tempo em que estende a mão para se unir com cristãos liberais, judeus, muçulmanos, budistas e outros grupos não-cristãos.
Portanto, Rick Warren está cooperando com um grupo ecumênico bem diverso, liderado por homens que estão obviamente na contramão do cristianismo fundamentalista! Isso lhe dá alguma idéia sobre o verdadeiro coração de Rick Warren?
"Um pouco mais adiante na mesma página, está a descrição da missão:
"A Faith in Public Life fortalece a eficiência, colaboração e alcance de movimentos religiosos que compartilham um chamado para buscar a justiça e o bem comum."
Naturalmente, esse pastor fundamentalista identificou diversas palavras-chave, todas as quais são muito bonitas!
"Após ler somente duas frases já estou sofrendo com a sobrecarga de palavras-chaves bonitas. Ah, e aquela referência aos que “usam a religião como meio de divisão e exclusão” é, obviamente, um grande indicador que eles se opõem aos conservadores religiosos... de modo que dei uma lida na declaração sobre a fundação da Faith in Public Life:"
"As eleições de 2004 reacenderam os anseios religiosos por justiça econômica e social. No entanto, a Direita Religiosa continuava dominando o debate público nas questões sobre fé — e principalmente em questões como aborto e homossexualidade — e virtualmente ignorava as questões sobre justiça e o bem comum. Em dezembro de 2004, líderes religiosos nacionais — incluindo Jim Wallis, o rabino David Saperstein, o rev. Jim Forbes, o rev. Bob Edgar, a irmã Catherine Pinkerton, o rev. C. Welton Gaddy e o rev. Timothy McDonald — se reuniram em Washington DC para confrontar os desafios diante do crescente movimento religioso por justiça social. Eles reconheceram a necessidade crítica do aumento e eficácia da colaboração, coordenação e comunicação em níveis nacional, estadual e municipal. A reunião resultou na criação da Faith in Public Life — uma organização permanente que fornece os recursos necessários à organização e comunicação para fortalecer diversos movimentos religiosos que compartilham um chamado para buscar a justiça e o bem comum”
Em toda essa Declaração de Missão, não vejo a palavra "Bíblia" ou "fundamentos"; mas, sim, que eles se preocupam que a Direita Religiosa não entre no caminho deles nas questões do aborto ou da homossexualidade. Em vez disso, a Faith in Public Life deseja que a Direita Religiosa seja estorvada para que a "justiça" e o "bem comum" possam ser avançados.
É claro, tudo isso é simplesmente "conversa dúbia", típico das igrejas liberais hoje em dia. Por isso, não estou surpreso com as credenciais das pessoas mencionadas na declaração acima.
"Jim Wallis é o principal porta-voz da Esquerda Religiosa nos EUA";
"Bob Edgar ... é o ex-presidente do Conselho Nacional de Igrejas";
"Catherine Pinkerton participa do Grupo Católico de Assessoria na campanha de Obama";
"Meg Riley, diretora de Defesa e Testemunho da Comunhão Unitariana-Universalista";
"Elizabeth Letzler, é membro do comitê da Missão Responsabilidade Por Meio de Investimentos, da Igreja Presbiteriana nos EUA, e da Rede Israel-Palestina (ou seja, um grupo anti-Israel). Ela também esteve “profundamente envolvida” com a FaithAmerica.org, uma organização que coopera de perto com o Conselho Nacional de Igrejas";
"Nazir Khaja, um líder muçulmano que também pertence ao conselho da Coalizão Religiosa para a Escolha Reprodutiva";
"Susan Thistlethwaite, presidente do Seminário da Igreja de Cristo Unida, em Chicago...";
"Jim Winkler, secretário-geral da Junta Geral de Igreja e Sociedade, da Igreja Metodista Unida, e que também está na diretoria (junto com a líder do Partido Comunista Americano, Judith Leblanc) da Campanha Americana para o Fim da Ocupação Israelense."
Agora você tem de reconhecer que Rick Warren se misturou com um grupo bem diverso de apóstatas religiosos, pessoas totalmente afastadas da Palavra de Deus! Esses são os tipos de pessoas com os quais Rick Warren está associado, por meio desse grupo chamado Faith in Public Life.
Faith in Public Life é claramente um grupo cristão liberal e diametralmente oposto ao cristianismo fundamentalista, mas isso não impede Rick Warren de incluí-lo na liderança de seu fórum entre os candidatos Obama e McCain! O anúncio da igreja de Saddleback para esse evento deixa bem claro que ele está incluindo a Faith in Public Life nesse fórum político como co-patrocinadora! Observe bem essa palavra "co-patrocinadora":
"A Igreja de Saddleback convidou Faith in Public Life, que realizou um Fórum da Compaixão, no Messiah College, na Pensilvânia, em abril passado, para co-patrocinar este especial Fórum Sobre Liderança e Compaixão."
Acho muito interessante observar como esses líderes cristãos apóstatas encobrem suas visões antibíblicas com o manto da "compaixão"!
"Líderes evangélicos da velha guarda que se opõem à expansão da agenda têm criticado Warren. Em diversas declarações nos dias anteriores ao fórum, eles pediram que Warren pressionasse os candidatos sobre as posições deles na questão do aborto. Larry Ross, representante de Rick Warren, disse que o pastor está consultando outros clérigos e especialistas em diversas áreas para formular perguntas aos candidatos sobre liderança, a Constituição, os direitos humanos e questões ligadas ao pecado e à justiça."
"A ala mais liberal apenas acha que o pastor Rick Warren fará um teste do anil cristão sobre a presidência. Outros, mais conservadores, temem que ele tente evitar algumas questões..."
A próxima notícia mostra a grande ênfase ecumênica de Rick Warren e da Igreja de Saddleback.

Resumo da Notícia: "Rick Warren Ainda Não Entendeu?", Paul Proctor, News With Views, 30 de julho de 2008.
"Rick Warren, pastor da megaigreja da Califórnia, diz que os cristãos não deveriam hesitar em trabalhar com os mórmons, muçulmanos, budistas e até mesmo com ateus, para tratar os problemas sociais. Junto com o fórum presidencial que realizará no mês que vem, na igreja de Saddleback, o pastor Rick Warren realizará um encontro ecumênico com trinta líderes cristãos, judeus e muçulmanos “para discutir cooperação para o bem comum de todo o povo americano."
Nos últimos anos, Rick Warren tem dado passos cada vez maiores e mais claros, revelando-se como o líder liberal e apóstata que ele realmente é.
No parágrafo seguinte, Paul Proctor revela a verdadeira apostasia que está afligindo Rick Warren atualmente.
"... a igreja não foi estabelecida por Jesus Cristo para participar com outras religiões e credos, para compartilhar a glória de Deus com Alá, Joseph Smith, Buda ou Madeline Murray O”Hare. Também não fomos chamados por Cristo para trazer os seguidores dessas pessoas para servirem no ministério conosco. Aqueles que foram verdadeiramente redimidos pelo sangue do Cordeiro têm a obrigação de saber isso."
Todavia, esse tipo de ênfase ecumênica bem ampla é exatamente o que Rick Warren está fazendo atualmente!
Não se deixe enganar. Rick Warren está oferecendo às pessoas um placebo espiritual!
Temos reportado a verdade, que a Igreja com Propósitos é uma organização construída segundo os preceitos e fundos do iluminista Peter Drucker. Essa igreja prega uma "salvação" por Jesus Cristo que não salva — ela não reconhece o pecado, nem o arrependimento do pecado, nem o sacrifício vicário de Jesus Cristo na cruz, nem o papel crucial que Seu sangue derramado tem na salvação da alma de uma pessoa. Portanto, as pessoas que se "salvam" segundo Rick Warren não são verdadeiramente salvas, porque ingeriram apenas um placebo espiritual!
Acho que Warren está viajando pelo mundo em esforço de unir todas as religiões em um "enorme guarda-chuva universal". É claro, esse tipo de atividade está estabelecendo a Religião Global, cumprindo assim o livro de Apocalipse. Aqueles que têm discernimento e fé na Palavra de Deus verão o princípio da formação da Religião da Nova Ordem Mundial, aquela religião global que será liderada pelo Anticristo e o Falso Profeta, e que exigirá que todas as pessoas recebam a Marca da Besta — ou morram!
Esta é a direção que a Bíblia diz que a humanidade seguirá nos últimos dias.
O pastor Rick Warren, com seu livro "Uma Vida com Propósitos" está ajudando milhões de pessoas a seguirem esse caminho mortal! Não se deixe enganar! Esses eventos provam que o fim dos tempos está vindo sobre nós com a força e velocidade de um trem de carga. A enganação espiritual é a ordem do dia.
Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.
Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.
Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.
Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.
Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.
Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui: 

Que Deus o abençoe.

Tradução: Marcelo N. Motta, Blog PensandoBiblicamente
Data de publicação: 3/9/2008
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n2311.asp

segunda-feira, 28 de abril de 2014

O Reino Prometido de Paz

“Luc 2:13 E, subitamente, apareceu com o anjo uma multidão da milícia celestial, louvando a Deus e dizendo:
Luc 2:14 Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem.”

Jesus disse que o Reino de Deus já se encontra em nós, e entre nós, porque está sendo formado, e a caminho de sua conclusão no tempo do fim, pois também falou do Reino de Deus por vir, em toda a Sua glória e paz entre todos aqueles que têm agradado a Deus.

A milícia de anjos celestiais que glorificaram a Deus nas alturas, por ocasião do anúncio feito aos pastores de Belém, sobre o nascimento do Salvador apontou, na ocasião, para o Reino de paz que seria estabelecido na Terra, pela união de todos aqueles que têm agradado a Deus, por se vincularem espiritualmente ao Salvador que lhes foi provido, de modo a viverem a justiça do evangelho que Ele revelaria ao mundo.

É digno de nota, o fato de que nosso Senhor depois de Sua morte e ressurreição esteve por quarenta dias, antes de subir ao céu, discorrendo com os apóstolos acerca do Seu Reino futuro com eles (Atos 1.3).  
A expressão de nosso texto “a quem ele quer bem”, tem no original grego o significado de “em quem ele tem se agradado, ou comprazido”.
Sabemos que este agrado de Deus por nós, não é devido a algo bom ou mérito próprio que tenhamos em nossa natureza, senão somente por termos nos sujeitado à salvação que nos foi oferecida gratuitamente por Ele, através de Seu Unigênito Filho Amado, a saber, nosso Senhor Jesus Cristo.

Por isso, Jesus chama de bem aventurados os pacificadores em Mt 5.9, porque seriam chamados de filhos de Deus, ou seja, são estes que promovem e buscam a paz na Terra entre os seus semelhantes, que atendem ao propósito da criação da humanidade.

O plano divino de ter um povo que habite a Terra para sempre, em perfeita paz está chegando ao tempo da sua consumação final; então, as palavras de louvor dos anjos por ocasião do nascimento do Salvador terão seu cumprimento pleno:
“Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem.”  

Evangelho Aguado e Morno

NOTA INTRODUTÓRIA: Não se pense, ao longo da leitura deste artigo, que o cristianismo bíblico, que alguns classificam de fundamentalista, dissemina discórdia, ódio, guerra, como alguns costumam acusá-lo falsamente. Ao contrário, os que são genuinamente convertidos a Cristo são os únicos que podem sustentar o referido tipo de cristianismo em seus corações governados pelo Espírito Santo de Deus, que se encontra cheio de amor ao próximo, de misericórdia, paciência, longanimidade e todo o fruto que é bom e que só faz bem e jamais sequer intenta fazer o mal a quem quer que seja. As barbáries cometidas ao longo da história por pessoas que se professavam cristãs não podem ser colocadas na conta de Jesus Cristo e nem na daqueles que são seus verdadeiros seguidores e que se encontram unidos a Ele em espírito, por meio da fé.   
Homens de Deus como Lutero, Calvino, John Owen, Jonathan Edwards, Wesley, Spurgeon, e muitos outros, quando pregavam, se via neles a unção do Espírito Santo e a glória de Jesus Cristo, e não propriamente as suas pessoas. Já os pastores modernos que são idolatrados, o que se vê neles é a própria glória - isto se possuem alguma -, e não a glória de Cristo.   
Eles estavam prontos a morrerem pelas perseguições que sofriam, para que vivesse o evangelho verdadeiro. Mas estes, matam a integridade do evangelho para que não sejam perseguidos, e para que sejam louvados pelos homens.
Os líderes da Igreja do passado eram chamados por Deus para exercerem o ministério, e sabendo o que isto significaria para eles em termos de aflições e tribulações, entravam no início,  no ministério, senão com alguma relutância.
Mas a grande maioria dos que lideram a Igreja de nossos dias chamaram a si mesmos ou foram chamados por homens, que também, por sua vez, fizeram líderes a si mesmos sem qualquer chamada do Espírito Santo para o exercício do ministério. Não é ao Senhor que estão servindo, a par de todos os sinais que lhes está sendo permitido realizarem, para ouvirem no final a triste sentença: "Apartai-vos de mim, vós os que praticais a iniquidade".
Por acaso acabou a ofensa da cruz? Porque a cruz é escândalo para os judeus e loucura para os gentios, e para os próprios crentes ainda imaturos é apenas instrumento de aflição, dor e morte.  
Eles não pregam nenhuma cruz que console e confirme os crentes nas tribulações que eles sofrem, porque eles não têm nenhuma cruz para carregar, uma vez que esta é instrumento de vergonha e de por causa da verdade evangélica que sustentamos.   
Todavia, é forçoso reconhecer que neste número se contam aqueles que agem ou são manipulados por ingenuidade ou ignorância, e são verdadeiramente ovelhas de Cristo, ainda que em apostasia quanto ao modo como deveriam caminhar com Ele, suportando com paciência e fé as muitas tribulações pelas quais importa que entremos no Reino de Deus.
É a estes que Cristo se dirige rogando que se arrependam e que se santifiquem pela Palavra da verdade.
É com estes que Ele ceará no banquete de comunhão por deixarem de seguir a homens, para seguirem somente o Senhor de suas vidas e autor e consumador da sua salvação.
Para melhor ilustrar este ponto, estamos publicando a seguir um artigo que extraímos do site A Espada do Espírito, no qual o autor diz que o evangelho que tem sido pregado hoje em dia é um evangelho aguado, e a isto acrescentaríamos: também morno, porque é este evangelho que dá à Igreja de Laodicéia a mornidão à qual nosso Senhor se refere que está fazendo com que Ele esteja a ponto de vomitá-la de sua boca:  

O Plano P.E.A.C.E. e os Objetivos do Milênio da ONU
Parte 1: A "Igreja" Global Emergente
As Igrejas Cristãs Estão Abrindo as Portas Para o Anticristo
Um evangelho aguado, sem a verdade bíblica ofensiva e focado na dignidade do homem, em vez de na justiça de Deus, encaixa-se perfeitamente bem com a visão da UNESCO em sua Declaração Sobre o Papel da Religião na Promoção de uma Cultura de Paz.
 "A primeira Reforma esteve relacionada com as crenças. A Reforma de agora precisa estar relacionada com o comportamento... Já tivemos uma Reforma, o que precisamos agora é de uma transformação." [1] Rick Warren.
(A Reforma Protestante não estava relacionada com crenças, mas com a exposição da verdade bíblica para o consequente comportamento santo que é produzido pela Palavra revelada. E já na Igreja Primitiva, os apóstolos tiveram que aplicar a Reforma (volta aos princípios verdadeiros) no combate que fizeram ao erro do judaísmo e do gnosticismo. Assim, a Igreja sempre precisa ser reformada e não de uma segunda reforma como afirma Rick Warren, que não se refira à doutrina, mas somente ao comportamento. A transformação que ele prega não é a pessoal, bíblica, pela santificação progressiva da vida, pela aplicação dos princípios espirituais do evangelho, mas o posicionamento em favor de um programa comportamental de caráter humanista, no qual as verdades fundamentais do evangelho devem ser omitidas para facilitar a união ecumênica com outras crenças. Este é o ponto. Nota do articulista) 
"A transição... para uma cultura de paz é um processo de transformação individual, coletiva e institucional." [2] Programa Cultura da Paz, da UNESCO.
(Desde quando o evangelho aponta para uma cultura de paz, quando o próprio Cristo diz que não veio trazer a paz para o mundo como um todo, mas uma espada, de modo que somente aqueles que se convertem a Ele podem experimentar da paz sobrenatural de Deus, pela qual serão rejeitados pelo mundo – nota do articulista).
"A cidadania para o próximo século é aprendizado para vivermos juntos. A cidade do século 21 será uma cidade de solidariedade social... Temos de redefinir as palavras... e escrever um novo contrato social." Federico Mayor, ex-presidente da UNESCO.

"Um mar de mudança de transições e transformações está gerando um novo mundo", escreveu o Dr. Leonard Sweet, cujos livros são frequentemente citados no Ministry Toolbox, de Rick Warren. "Deus está produzindo o maior despertamento espiritual na história da igreja... Você irá comparecer?" [4].
Se você ama a verdade, pode querer dizer não! Pois em seu livro, Soul Tsunami, o Dr. Sweet, um líder famoso na Igreja Emergente, nos diz para fluirmos com as correntes da mudança e deixarmos o imutável evangelho de Deus para trás. "A cultura pós-moderna é um mundo do tipo “mude ou seja mudado", ele continua. "Reinvente-se para o século 21, ou morra. Alguns preferirão morrer a mudar." [4].
Será se Rick Warren concorda? Provavelmente sim, pois ele escreveu este efusivo endosso para a capa frontal do livro de Sweet: "Soul Tsunami nos mostra por que estes são os melhores dias para evangelismo desde o primeiro século!".
Que tipo de evangelismo Rick Warren tem em vista? Seria um evangelismo baseado na Palavra de Deus, ou em "boas" obras? Aparentemente, o último. Em um mundo que trocou os absolutos bíblicos por valores mutáveis e experiências de sentir-se bem consigo mesmo, as verdades divisivas de Deus enfrentam uma crescente onda de hostilidade. Mas poucos argumentarão contra ajudar os pobres e os enfermos. Talvez seja por isso que o pastor Warren repita sempre esta frase: "A primeira Reforma esteve relacionada com as crenças; esta estará relacionada com comportamento." [5].
(Ao enfoque do autor nas boas obras, gostaria de acrescentar, conforme dizer de Spurgeon, que não há boas obras que não sejam de fé e do Espírito, porque as ações de mero caráter social afundam ainda mais as pessoas na ilusão de estarem em conformidade com Deus, pela atenção que tenham recebido daqueles que atuam em Seu nome, quando na verdade não tiveram uma real experiência de conversão a Cristo – nota do articulista).
O novo foco está na unidade — uma unicidade em escala mundial refletida na crescente união entre o Oriente e o Ocidente. O livro on-line de Leonard Sweet, Quantum Spirituality, lança uma luz reveladora sobre a "igreja" global planejada para o século 21. Na visão dele, a ofensa da cruz foi substituída por uma paixão por paz interfé e por pensamento de possibilidade Para ilustrar esse ponto, o Dr. Sweet cita Thomas Merton, o famoso autor católico que popularizou o misticismo e morreu na Ásia pesquisando as profundezas do budismo tibetano. “Já somos um. Mas imaginamos que não somos. E o que temos de recuperar é nossa unidade original.”" [6].
Buscando essa solidariedade ilusória, os líderes da igreja orientada para o sucesso de hoje estão correndo para a era pós-moderna da "verdade" flexível e os prazeres relacionais. Sem estarem limitados por qualquer âncora sólida na Palavra imutável de Deus, eles avançam — de mãos dadas com o mundo — em direção a um futuro imaginado, alcançável por meio de práticas há muito tempo escondidas nas sociedades secretas e nas religiões orientais. Essas práticas incluem os rituais meditativos, a síntese dialética e o pensamento sistêmico. Acrescente aprendizado por meio de serviço comunitário às duas últimas e você terá as estratégias transformacionais testadas primeiro pelos tiranos comunistas, e depois incorporadas ao sistema educacional da ONU e dos EUA, que intencionalmente solaparam o aprendizado factual e racional e estabeleceram os modos pós-modernos de pensamento. [7].
(Na verdade quem está sendo ouvido e pregado é Betrand Russel, e todos os que são do mesmo pensamento, porque sendo um extremo inimigo da fé, que a tudo o que se refere a Deus classificou de crença supersticiosa, tendo colocado o próprio Wesley no seu caldeirão de ódio declarado ao cristianismo bíblico, formulou os princípios de uma sociedade racionalista modificada pelo avanço científico, para a República idealizada por Platão. Estes são os mestres por trás dos bastidores que moldam a forma de pensar e agir dos líderes da igreja global emergente. Não é portanto de se admirar que sejam tão aplaudidos e aceitos pelas lideranças mundiais que promovem a Nova Ordem Mundial. Nota do articulista)
Precisamos compreender essa impressionante revolução mundial — e as sutis contemporizações causadas pelas alianças “cristãs” pragmáticas atuais. Portanto, os dois próximos artigos nesta série examinarão mais de perto a manipulação social que está por trás do "serviço comunitário" e "aprendizado por toda a vida" — dois programas dirigidos por padrões globais, avaliações e correções contínuas. Enquanto isso, você pode encontrar informações úteis de pano de fundo nas seguintes páginas:

Igreja Dirigida Pelo Espírito ou Orientada Por Propósitos — Parte 4: Lidando com os Resistentes
Molding Human Resources for the Global Workforce
Bush, Schultz, Gorbachev and the Soviet Education
Character Training For Global Citizenship
Mas, primeiro, vamos examinar o celebrado Plano P.E.A.C.E, de Rick Warren, e seus vínculos com as Nações Unidas.
Como muitos outros documentos da ONU, os Objetivos do Milênio soam gentis e compassivos. Eles têm o propósito de apelar aos nobres instintos e aos corações compassivos — e realmente conseguem isso! É por essa razão que países, empresas, organizações e igrejas estão aderindo a essa campanha global. Quem discordaria destes oito elevados objetivos:
Erradicar a extrema pobreza e a fome.
Alcançar a educação primária básica.
Promover a igualdade entre os sexos e capacitar as mulheres.
Reduzir a mortalidade infantil.
Melhorar a saúde das mães e das gestantes.
Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças.
Assegurar a sustentabilidade ambiental.
Desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento. [8].
Obviamente, existe mais nesta lista do que palavras aprazíveis aos ouvidos. A visão motivacional de um sistema de bem-estar mundial pode ter capturado os corações em todo o mundo, mas ela na verdade serve aos objetivos grandiosos dos agentes socialistas de mudança que têm pouca preocupação pelo sofrimento humano. (Basta olhar como os líderes do governo americano estão tratando as vítimas do furacão Katrina.) Todavia, nenhum outro programa vinculou mais eficientemente a igreja evangélica ao sistema gerencial da ONU, que, desde sua origem, declarou guerra à verdade e aos valores bíblicos. [9] E nenhum outro programa mais eficientemente atraiu os cristãos a um processo destinado a manipular as massas, a solapar os valores tradicionais, a silenciar os resistentes, a sintetizar as crenças, a trocar o pensamento individual pelo pensamento coletivo, e a treinar os cidadãos globais para servirem "ao todo maior". [10].

Uma entrevista intitulada “Pastor Warren Delineia Sua Visão Global", sumariza partes desse plano:
Pergunta: seu livro é um mega-sucesso de vendas e a Igreja de Saddleback tem um rol com 82.000 membros. O que virá em seguida?
Warren: “No século 21 vamos nos tornar globais e mobilizar a igreja americana para ajudar internacionalmente... O presidente Kagame nos receberá em Ruanda para um projeto conjunto entre o governo, as empresas e a igreja...
Pergunta: como a Igreja de Saddleback lidará com esses imensos problemas?
Warren: com nosso plano PEACE... P é para plantar uma igreja ou parceria com uma igreja existente em cada aldeia. Trabalharemos com qualquer um que queira ajudar. Trabalharei com um ateísta que queira enfrentar a AIDS. E — equipar os líderes locais. A — Assistir aos pobres. C — Cuidar dos enfermos. E — Educar para a próxima geração...
Pergunta: qual é sua maior esperança com tudo isso?
Warren: uma segunda Reforma. A primeira esteve relacionada com as crenças. Esta agora estará relacionada com as obras. [11].

Compare esse celebrado Plano P.E.A.C.E. com os Objetivos do Milênio, da ONU. Tenha em mente que tanto as igrejas com propósitos e seus programas de liderança estratégica requerem treinamento em processos de mudança de mentalidade e tecnologias de avaliação que suportam a visão da ONU para o desenvolvimento de recursos humanos em todo o mundo. [12].

O Plano P.E.A.C.E.  Objetivos de Desenvolvimento do Milênio
1. Plantar igrejas - Desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento. (O treinamento da liderança para as igrejas com propósitos é paralelo com o Processo Dialético, Pensamento sistêmico e desenvolvimento de equipes prescrito por várias agências da ONU envolvidas no desenvolvimento dos recursos humanos.)
2. Equipar líderes que sejam servidores - Desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento. Na verdade, o "aprendizado por toda a vida" tem sido o principal objetivo educacional da UNESCO desde que essa agência da ONU foi criada.
3. Assistir aos pobres - Erradicar a extrema pobreza e a fome.
4. Cuidar dos enfermos - Reduzir a mortalidade infantil;  Melhorar a saúde das mães e das gestantes; Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças.
5. Educar a próxima geração - Atingir a educação primária básica.
Os objetivos implícitos dos Objetivos do Milênio certamente serão incluídos em cada um dos cinco programas de Rick Warren, especialmente o P, E, A, e E.    Promover a igualdade entre os sexos e capacitar as mulheres.
Garantir a sustentabilidade ambiental.
Agora, vamos olhar mais de perto cada um dos objetivos do plano P.E.A.C.E.

1. Plantar igrejas — O primeiro ponto parece ser bom. Mas como serão essas novas igrejas plantadas? Serão clones da Igreja de Saddleback, na Califórnia — ou das milhares de outras igrejas que seguem o modelo Propósitos?
Não exatamente. Os agentes de mudança da atualidade adaptarão cuidadosamente suas estratégias transformacionais para cada novo cenário cultural. Mas no centro dessa revolução global veremos os mesmos elementos fundamentais: Gerenciamento da Qualidade Total (TQM), treinamento para o aprendizado psicossocial, promoção de um evangelho positivo (contemporizado) e um Deus permissivo (que não julga e quer que todos se sintam bem consigo mesmos), avaliações contínuas de alta tecnologia e correções, e o processo dialético operando por meio dos grupos pequenos sob a liderança de facilitadores.

O campo de missões é todo o mundo. Como diz o pastor Rick Warren:
"Bilhões de pessoas estão sofrendo todos os dias de problemas tão grandes que governo algum pode solucionar... A única coisa grande o suficiente para solucionar os problemas do vazio espiritual, liderança egoísta, pobreza, doença, e ignorância é a rede de milhões de igrejas em todo o mundo..."
"As Escrituras mostram que Jesus compartilhava as boas novas, treinava os líderes, ajudava os pobres, cuidava dos doentes, e ensinava as crianças... Nosso Plano P.E.A.C.E. fará exatamente essas cinco coisas que Jesus fez enquanto esteve aqui no mundo." [13].
Mas a comparação do pastor Warren com Jesus não poderia ser mais enganosa. Jesus nunca usou as estratégias psicossociais ou os sistemas de gerenciamento manipuladores que dirigem a transformação social e espiritual.
O ímpeto inicial de Rick Warren é na África, onde o Plano P.E.A.C.E. se encaixará bem. Ele já tem o pé em Ruanda, onde o genocídio de 1994 contra a minoria tutsi chocou o mundo. Mas, de acordo com a revista Time, o presidente ruandês Paul Kagame não tinha sido amigável ao cristianismo bíblico:
"Kagame tem repetidamente declarado seu desdém pelas organizações religiosas.
Assim, um zunzum ocorreu no Estádio Amahoro, de Kigali, no mês passado quando Kagame permitiu que Rick Warren... colocasse o braço em volta de seus ombros e “orasse pelo presidente”... Kagame comprometeu seu governo na cooperação em um projeto de auto-suficiência de cinco a sete anos formado por voluntários ruandenses, mas iniciado, assessorado e pelo menos parcialmente financiado pela rede de “Igrejas com Propósitos”, de Rick Warren.” O pastor Warren fala em transformar Ruanda na “primeiro país com propósitos” do mundo." [14].
Você se pergunta por que um presidente africano anticristão entraria nesse acordo? Kagame respondeu a essa questão quando falou na Igreja de Saddleback, em abril de 2005:
"... eles também nos falaram sobre a visão do plano PEACE... É uma visão com um grande objetivo, que é confrontar os grandes problemas do mundo; mas é prática e simples em estratégia porque é construída com base no uso de pessoas comuns, em vez de na elite. Rick e eu concordamos que cada parceiro — a igreja, o governo e as empresas têm um papel a exercer e somos melhores juntos e mais eficientes quando cooperamos." [15].
"Mais eficientes" de que modo? Em plantar igrejas bíblicas — ou na "Capacidade de Construção" e "desenvolver" pessoas que pensem coletivamente e se encaixem na visão da ONU? Irá a cooperação com "o governo e as empresas" realmente ajudar a estabelecer igrejas cristocêntricas com cristãos fiéis e nascidos de novo que — pela graça de Deus — amam e seguem a Palavra do Senhor? Ou isso irá ajudar a espalhar a contemporização e a enganação? Isso irá agradar a Deus ou ao homem? (Como aplicar e afirmar as verdades bíblicas neste contexto? – nota do articulista).
Isso irá cumprir aquilo que Rick Warren apresenta como os cinco principais propósitos de Deus para a igreja? Ou poderiam esses propósitos serem todos redefinidos sob o estandarte do crescimento de igrejas, de igreja saudável, e serviço orientado para o sucesso por meio de alianças entre a igreja e o mundo? [16] As parcerias enfrentam problemas quando um parceiro controla o dinheiro ou o poder político. O membro controlador estará em condições de definir as regras e as cláusulas do contrato, forçando os outros membros a se submeterem ou deixarem a parceria.
Na verdade, os cinco propósitos de Rick Warren já foram contemporizados. "Warren apresenta alguns ensinos básicos com relação ao propósito de Deus para glorificar a Si mesmo e o que o homem deve fazer com relação a Deus", escreveu Richard Bennet, em um artigo intitulado The Purpose-Driven Life: Demeaning The Very Nature of God. O fato que nem um desses propósitos é apresentado de um modo biblicamente correto torna a obra de Warren ainda mais perigosa para a verdadeira compreensão de quem é Deus e Seu evangelho em Cristo." [17].
Considere os cinco principais propósitos de Rick Warren a partir de uma perspectiva bíblica:
Adoração. As formas pós-modernas de adoração têm o objetivo de produzir sensações de alegria e emoção humana, não a adoração inspirada pelo Espírito Santo. Elas apontam para um Deus positivo e permissivo que, como os membros de nossa equipe humana — saudará nossa natureza autocentrada e desconsiderará nossos modos profanos. Essas celebrações se chocam com as expressões genuínas de um coração cheio do Espírito que livremente adora nosso santo e maravilhoso Deus sem programas centrados no homem e que produzem emoções. [Veja Igreja Dirigida Pelo Espírito ou Orientada Por Propósitos?].

Comunhão. A "comunhão" com propósitos tende a seguir as diretrizes dialéticas atuais. Elas empurram os membros do grupo em direção à tolerância sem base bíblica e baseada nas emoções, em vez de no compartilhamento baseado em fatos e silenciam com relação aos absolutos bíblicos. Em contraste, a comunhão bíblica ocorre quando nos reunimos com prazer comum na palavra de Deus, em Sua vontade e em Seus caminhos — amando e encorajando uns aos outros com Sua palavra e pelo Seu Espírito.

Discipulado. Os novos sistemas de gerenciamento de igrejas propõem treinamento em submissão e lealdade ao "grupo" e à nova ética social — não a Deus e à Sua palavra. Eles requerem participação em pensamento coletivo e "aprendizado para o serviço" e atividades de construção de equipes de diversão. Eles evitam os caminhos estreitos e as verdades divisivas de Deus e distorcem o chamado de Deus por unidade bíblica em um convite para se juntar ao mundo em sua estrada para a corrupção.

Ministério. A forma e estrutura dos ministérios com propósitos são cada vez mais definidas pelos gurus da administração, avaliação de personalidade, pesquisas na comunidade e apelo ao grupo, não pelo ensino bíblico, nem nos propósitos reais de Deus. Mas a Bíblia mostra que nosso principal foco deve estar na edificação dos fiéis, pregando e ensinando a palavra de Deus e exortando e servindo uns aos outros. Somos chamados para viver e trabalhar juntos pelo Espírito de Deus — não pelo pensamento de grupo e a tolerância politicamente correta. Na verdadeira igreja, todos os membros conhecem e seguem a Jesus Cristo, o Rei de todos!! Ele não é um deus reinventado e aceitável para o mundo, mas o Deus santo e todo-poderoso que Se revelou por meio das Escrituras.

Evangelismo. O evangelho suave e não ofensivo de hoje enfoca o suposto amor apaixonado de Deus pelas pessoas que são naturalmente dignas de receber amor, não em Sua amorosa misericórdia pelos pecadores depravados. (Veja Efésios 2:1-4) Quando os agentes de mudança "cristãos" treinam as massas para "pensarem fora do caixote" da imutável palavra de Deus, eles estão espalhando um falso evangelho e cegando as pessoas para a única verdade que pode nos libertar.
A suposição que "o fim justifica os meios" já cegou uma massa crítica de líderes "cristãos". Muitos não percebem que o "fim" prometido é meramente uma ilusão. Treinados para aceitar um evangelho contemporizado, eles o espalham para um mundo que quer compartilhar das bênçãos de Deus, mas sem a convicção do pecado e sem o genuíno arrependimento. As massas pagãs estão mais do que dispostas a aderir a um evangelho expurgado de suas partes ofensivas ao mundo.
Essa reforma radical torna-se ainda mais preocupante quando os líderes de igreja, como Rick Warren, dão as mãos para Bono (vocalista da banda de Rock U2), a atriz declaradamente lésbica Ellen DeGeneres, e outros apoiadores da ONU em sua cruzada evangelística e guerra contra a pobreza. Como esses nobres ideais se encaixam bem nos esforços das Nações Unidas de “desenvolver” as nações, treinar os recursos humanos, construir capital social e estabelecer seu sistema de gestão global, não podemos ignorar sua filosofia básica.
Além do mais, o "evangelho" social e suave de hoje conforma-se facilmente às diretrizes da UNESCO para a religião na Nova Ordem Internacional. Lembre-se das palavras do pastor Warren: "A primeira Reforma esteve relacionada com as crenças; a de agora estará relacionada com as obras." [11].
Tudo faz sentido. O verdadeiro evangelho ofende as pessoas. Ele nos lembra que somos criaturas caídas em servidão ao pecado e distantes de Deus. É por isso que a palavra de Deus nos diz que "somos a boa fragrância de Cristo" [2 Coríntios 2:14]. Ela nos lembra a não esperarmos popularidade no mundo quando formos fiéis à Palavra de Deus! Em vez disso, somos chamados para seguirmos em Seu caminho estreito e difícil, não importa o preço que tenhamos de pagar:
"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia. Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa. Mas tudo isto vos farão por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou." [João 15:18-21].
Em contraste, as obras humanitárias ganharão o aplauso do mundo. Assim também um evangelho caiado, "purificado" de sua verdade ofensiva e enfocado na dignidade do homem, em vez de na justiça de Deus. Esse novo evangelho encaixa-se bem na visão da UNESCO (Organização Cultural, Científica e Educacional das Nações Unidas), conforme resumido em sua Declaração do Papel da Religião na Promoção de uma Cultura da Paz. Observe que ela usa os erros cometidos pelo cristianismo falso ou cultural, para justificar suas críticas ao cristianismo genuíno e pressionar todas as religiões a aceitarem suas diretrizes para o serviço global em sua Nova Ordem Internacional:
1. ... Somos todos interdependentes e compartilhamos uma responsabilidade inescapável para o bem-estar de todo o mundo.
2. Enfrentamos uma crise que pode produzir o suicídio da espécie humana, ou nos levar a um novo despertar e uma nova esperança. Sabemos que a religião... tem um papel indispensável a exercer...
6. As religiões têm... levado à divisão, ao ódio e à guerra. As pessoas religiosas têm frequentemente traído os elevados ideais que elas próprias pregaram.
8. A paz envolve que compreendamos que somos todos interdependentes... responsáveis coletivamente para o bem comum.
11. Precisamos... cultivar uma espiritualidade que se manifeste em ação...
13. Comprometemo-nos a... garantir uma educação verdadeiramente humana para todos. Enfatizamos a educação para a paz, para a liberdade, para os direitos humanos, e educação religiosa para promover a abertura e a tolerância.
19. Nossas comunidades de fé têm uma responsabilidade de incentivar a conduta imbuída com sabedoria, compaixão, compartilhamento, caridade, solidariedade e amor; inspirando todos a escolherem o caminho da liberdade e da responsabilidade. As religiões precisam ser uma fonte de energia útil.
20. ... Devemos fazer distinção entre o fanatismo e o zelo religioso.
21 Favoreceremos a paz enfrentando as tendências dos indivíduos e das comunidades a assumirem, ou até mesmo ensinarem que eles são inerentemente superiores aos outros...
22. Promoveremos o diálogo e a harmonia entre e dentro das religiões... respeitando a busca pela verdade e a sabedoria que está do lado de fora.
23. ... Conclamamos as diferentes tradições religiosas e culturais a unirem as mãos e... a cooperarem conosco." [18].

Seja de forma consciente ou por puro pragmatismo orientado para o sucesso, o movimento da Igreja com Propósitos respondeu ao chamado. Com o guru da administração Peter Drucker como seu mentor, a busca de Rick Warren por reforma e transformação serve muito bem à visão da ONU. Na verdade, as duas parecem marchar ao som dos mesmos tambores. Como a visão de Rick Warren de transformação, o Programa Cultura da Paz, da UNESCO, propõe a total transformação para seu sistema global de avaliações e controle — "um processo de transformação individual, coletiva e institucional." [2].
Aqueles que estudam a literatura da ONU percebem que sua planejada "Cultura da Paz" adotaria alegremente uma forma contemporizada de cristianismo que serviria o sistema mundano. Mas o cristianismo bíblico, tão desprezado pelo mundo, seria banido — exatamente como Jesus Cristo advertiu aos seus discípulos:
"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo." [Mateus 24:9-13].
Um grupo pequeno de missionários fiéis, trabalhando silenciosamente entre os pobres da África, poderia, pela graça de Deus, compartilhar todo o evangelho fora do alcance dos olhos atentos dos novos gerentes globais. Mas o movimento Propósitos, sedento por publicidade, com sua agenda popular, será cuidadosamente acompanhado para verificarem se ele está se conformando com os ideais da ONU. Para ser bem sucedido dentro dessa estrutura global de controle, é preciso se conformar, obedecer e, finalmente, servir à agenda global. E a fúria dele poderá muito bem ser colocada naqueles missionários que não contemporizam e nos cristãos fiéis, que preferem sofrer a perseguição nas mãos dos intolerantes "pacificadores" do que trair seu amado Senhor.

Vale a pena lembrar duas Escrituras para os tempos desafiadores que estão por vir:
"Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus. E isto vos farão, porque não conheceram ao Pai nem a mim." [João 16:2-3].
"Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus." [Atos 20:24].

Leia também os seguintes artigos relacionados:
Igreja Dirigida Pelo Espírito ou Dirigida por Propósitos?
Os Grupos Pequenos e o Processo Dialético
O Plano P.E.A.C.E. e os Objetivos do Milênio da ONU — Parte 2: Equipando os Líderes Para Liderarem Como Jesus

Notas Finais

1. Rick Warren: Global Baptists -- "We”re all in this together," em http://www.bwanet.org/Congress/congresstoday29f.htm.
2. UNESCO Culture of Peace Programme, em http://www.peace.ca/vowunesco.htm.
3. Federico Mayor, falando na conferência sobre "solidariedade" durante a Conferência das Nações Unidas Sobre Assentamentos Humanos, em Istambul, Turquia, em 1996. Gravado e transcrito por Berit Kjos.
4. Leonard Sweet, Soul Tsunami, (Grand Rapids, MI: Zondervan Publishing House, 1999), págs. 17, 34, 75.
5. Ken Camp, "Second Reformation” Will Unify Church, Warren Tells Dallas GDOP," Pastors.com, 2005, em http://www.pastors.com/article.asp?ArtID=8280.
6. Leonard Sweet, Quantum Spirituality, todo o livro on-line pode ser encontrado em Quantum Spirituality: A Postmodern pologetic,http://www.leonardsweet.com/Quantum/quantum-ebook.pdf
7. Veja "The International Agenda" em
8. "Millennium Goal: Conforming the World to Socialist Solidarity" em http://www.crossroad.to\articles2\TwoSummits.htm.
10. "Serving the “greater whole",em http://www.crossroad.to/Books/BraveNewSchools/6-Service.html e "Social Change and Communitarian Systems em
 http://www.crossroad.to/articles2/04/6-purpose-communitarian.htm e "Molding Human Resources for the Global Workforce", em
11. "Pastor Warren lays out a global vision, em
12. "Reinventing the World", em http://www.crossroad.to/articles2/Reinvent1.htm e "A Infiltração Ocultista na Igreja Cristã, Visando Destruí-la a Partir de Dentro" em N1629.
13. "P.E.A.C.E. Plan: A Worldwide Revolution, Warren Tells Angel Stadium Crowd", emhttp://www.purposedrivenlife.com/absolutenm3/templates/articles.aspx?articleid=981&zoneid=25.
14. David Van Biema, "Warren of Rwanda," revista Time, 22 de agosto de 2005, emhttp://www.time.com/time/archive/preview/0,10987,1093746,00.html.
15. "Remarks by his Excellency Paul Kagame, President of the Republic of Rwanda, at Saddlback Church", em
16. Topical Index of Scriptures em
17. Richard Bennet, "The Purpose Driven Life: Demeaning the Very Nature of God emhttp://www.bereanbeacon.org/articles/rick_warren_purpose_driven_2.htm.
18. Declaration on the Role of Religion in the Promotion of a Culture of Peace.
19. "Lidando com os Resistentes",http://www.espada.eti.br/db039resiste.asp.


Autora: Berit Kjos (Kjos Ministries, em http://www.crossroad.to)
Data da publicação: 7/6/2006
Patrocinado por: A. J. R. C. — Fortaleza / CE